Apesar da maioria das espécies características da Mata Atlântica estarem ameaçada de extinção, no Parque Ecológico da Grota Funda encontram-se preservados alguns exemplares da fauna brasileira.

Alma-de-gato Beija-flor Bem-te-vi Cambacica
Coruja Curiango João-de-barro Pica-pau
Rolinha Sabiá Sanhaço Tangará
Tico-tico Tiziu Tuim

 

 

Alma-de-gato

Nome científico: Piaya cayana
Tamanho:50 cm
Comportamento e reprodução: É comum entre as aves desta espécie, várias fêmeas usarem o mesmo ninho, mesmo sendo de um outro pássaro. A ninhada consiste de 10 a 20 ovos, de cor verde azulada. Não se sabe se as fêmeas se revezam no choco, mas são muitas as que contribuem na alimentação dos filhotes.

Beifa-flor

Nome científico: Phaethornismeurynome
Tamanho: 16 cm
Comportamento: É uma espécie solitária da mata virgem e secundária. Visita frequentemente as flores de bromélias, cactus e lequinosas. A dança nupcial é rica de movimentos e sons. Ao exibir a plumagem, o macho rodeia a fêmea em pleno vôo, chegando bem perto e abrindo a cauda em leque.

Bem-te-vi

Nome científico: Pitangus sulphuratus
Tamanho: 15-20 cm
Comportamento: Com pancadas ligeiras ele perscruta primeiro a árvora, a fim de descobrir os pontos carunchados e só depois arranca lascas da madeira, para por à descoberto as larvas e os besouros que constituem o seu alimento.

Cambacica

Nome científico: Coereba flavicola
Comportamento: Bastante conhecida a cambacica não teme os homens aproximando-se para satisfazer sua curiosidade. Comem pequenos insetos e o néctar das flores. Como não conseguem parar no ar como fazem os beija-flores, se agarram às flores com os pés.

Coruja

Nome científico: Speotyto cuniculária
Tamanho: 23 cm
Comportamento: A coruja se instala em buracos feitos no chão, aproveitando antigas tocas de tatu ou de outros animais. O casal se revesando, alarga o buraco, cava uma galeria horizontal usando os pés e o bico e por fim forra a cavidade do ninho com capim seco. Ao redor acumula estrume e se alimenta dos insetos atraídos pelo cheiro.

Curiango

Nome científico: Macropsalis creagra
Tamanho: 30 cm
Comportamento: Tem hábitos noturnos, confundindo-se muito bem com o lugar onde estão. No crepúsculo levantam vôo silencioso.

João-de-barro

Nome científico: Furnaris rufus
Tamanho: 15 à 20 cm
Comportamento: Macho e fêmea tem o hábito de cantar em dueto, próximo ao ninho. A família toda sempre desce ao chão para procurar alimento, que consiste de insetos, lagartas, minhocas e caracóis; gosta também de formigas, de cupins e de algumas sementes.

Pica-pau

Nome científico: Celeus flavesceus
Tamanho: 30 cm
Comportamento: Cavam com o bico, um buraco para construção do ninho em troncos de árvores ou cupinzeiros. A fêmea põe 4 a 5 ovos que são chocados pelo casal. Ás vezes, um filhote da ninhada anterior ajuda os pais na construção do ninho.

Rolinha

Nome científico: Scardafella squammata
Tamanho: 20 cm
Comportamento: A rolinha á bastante conhecida por seu canto inconfundível: fogo-apagou e pelo barulho que faz com as asas quando levanta vôo.

Sabiá

Nome científico: Turdus rufiventris
Tamanho: 25 cm
Outras formas: Da família Turididae ocorrem no Brasil cerca de catorze espécies, sendo as mais populares: Sabiá-Pardão-da-Bahia, Sabiá-Coleira, Sabiá-Poca, Sabiá-Una, Sabiá-Campainha.

Sanhaço

Nome científico: Thraupis sayaca
Tamanho: 17,5 cm
Fêmeas e jovens: Os machos e fêmeas do sanhaço são iguais; já os jovens apresentam-se com menos brilho.
Outras formas: Os sanhaços são pássaros conhecidos em todo Brasil, onde ocorrem seis espécies do gênero.

Tangará

Nome científico: Chiroxiphia caudata
Tamanho: 15 cm
Comportamento e reprodução: O tangará é famoso pelas danças que executa. Vários machos num galho, sempre à esquerda da fêmea (ou um imaturo) para pousar no fim da fila. Na época de reprodução os machos ficam agressivos e ocorrem brigas. A feitura do ninho, incubação e trato dos filhotes são responsabilidade da fêmea.

Tico-tico

Nome científico: Zonotrichia capensis
Tamanho: 14cm
Comportamento e reprodução: Canto bastante conhecido e melodioso. O canto noturno é diferente e mais curto. Em gaiola costumam abandonar os ovos ou filhotes, que precisam ser passados para a ama-seca. Reproduzem melhor em viveiros arborizados. Na natureza são frequentemente parasitados pelo Chupim.

Tiziu

Nome científico: Volatinia jacarina
Tamanho: 11,5 cm
Comportamento e reprodução: Como se trata de pássaro territorialista, deve permanecer apenas um casal por recinto. Depois da reprodução os machos perdem a cor preta, ficando muito semelhantes às fêmeas.

Tuim

Nome científico: Forpus xanthopterygius
Tamanho: 12 cm
Comportamento: Vivem aos bandos e sempre que pousam, os casais logo se juntam, de modo que sempre ficam agrupados de dois em dois. Várias vezes tem se constatado que ao morrer um deles, fica o sobrevivente tão acabrunhado, que pouco depois acaba morrendo.


Localização - Flora - Hidrografia e Topografia - Página inicial